O Tiger Trip é um marco sempre muito antecipado no calendário do Clube Tigres do Boque. Uma vez por ano a Ordem de Mérito desloca os sócios para fora da grande Lisboa com a promessa de campos de sonho, boa comida e sobre tudo boa disposição.

Depois de correr o norte do país, a Madeira e boa parte do sul de Espanha os Tigres regressaram este ano ao Algarve. O destino foi o Barlavento, mais precisamente a zona Alvor/Lagos, onde os jogadores encontraram campos lindos mas altamente desafiantes.

Como é tradição, o programa começou com um Torneio Convívio na sexta que desta volta se realizou no incrível San Lorenzo, na Quinta do Lago. O campo encontrava-se em boas condições sendo que não excelentes para o seu estatuto. As vistas sobre a Ria Formosa, essas sim, são sem dúvida ímpares e nunca desiludem.

Oos resultados demonstraram que o jogo estava afinado. João Ivo Carvalho abriu o fim de semana a ganhar com 38 pontos, seguido de Helder Machado e de José Maria Magriço que registaram respectivamente 37 e 36 pontos.

Da Quinta do Lago os carros rumaram para o Hotel Penina onde o grupo ficou alojado. O check-in foi em modo toca e foge para chegar ao restaurante Fisherman’s em Alvor a tempo e horas. E a pressa valeu a pena porque entre as gambas da costa, as ameijoas e os fresquíssimos robalos o jantar saltou directamente para o top 2 dos Tiger Trips. O único outro que pode ainda rivalizar foi o cabrito do Camelo, em Viana do Castelo, por onde os Tigres passaram em 2010 quando jogaram Estela e Ponte Lima.

Espiche foi o campo selecionado para sábado e conhecendo a sua fama foi com muito respeito e alguma relutância que os participantes chegaram ao tee do 1. O campo encontra-se inserido numa zona de reserva natural que permite umas lindíssimas vistas. No entanto o vento que soprava a mais de 20 nós aliou-se a fairways que não perdoam erros e a localizações de bandeiras particularmente desafiantes para criar a tempestade perfeita. Dos 27 jogadores em campo apenas dois registaram mais de 30 pontos e 3 desistiram no buraco 9.

Foi sem dúvida uma tareia física e sobretudo psicológica mas quem superou os elementos demonstrou que sabe, de facto, jogar golfe. Francisco Pinto Barbosa ficou em primeiro lugar com 38 pontos e Helder Machado manteve o nível do dia anterior registando 37 pontos. Em terceiro lugar com 30 pontos e desempate por handicap ficou Paul Mascaro. Uma nota que de certa forma conta a historia do dia – o Clube de Espiche simpaticamente ofereceu uma garrafa de vinho aos dois jogadores que superaram os 36 pontos.

O jantar de sábado realizou-se no restaurante D. Henrique, na zona antiga de Lagos.

No domingo os Tigres não tiveram que ir longe para chegar ao tee da última volta deste torneio multi-dia. Isto porque o campo eleito para fechar o fim de semana foi o da casa. O Penina foi o primeiro campo de golfe do Algarve e é sem dúvida um clássico que vale a pena visitar uma e outra vez. José Maria Magriço ganhou o dia com 36 pontos. Em segundo e terceiro lugar respectivamente ficaram Duarte Sousa Coutinho e Anthony Douglas com 35 pontos e desempate por handicap mais baixo.

Helder Machado regressa assim à grande forma de 2017 registando uma contundente vitória com 71 pontos agregados. Em segundo lugar ficou Francisco Pinto Barbosa com 67 pontos e em terceiro Jorge Paraiba com 64.

A entrega de prémios decorreu no club house do Penina com apoio da Freixenet que gentilmente ofereceu aos participantes da Tiger Trip 2019 um pólo do Clube.

Please Login to Comment.