Há muitos anos que os Tigres regressam ao Lisbon Sports Club para realizar o seu Open, o Cannonballs. Trata-se do dia em que o Clube abre as suas portas e organiza um convívio com familiares e amigos. Este ano a assiduidade foi grande e o field encheu-se pouco tempo depois de abertas as inscrições.

O tempo ajudou e esteve um dia lindo para a prática do golfe. Nem se sentiu o calor de praia do dia anterior nem a chuva que simpáticamente esperou que todos terminassem a volta para cair. O Lisbon Sports Club estava igual a si mesmo, um clássico que premeia jogadores certeiros mais que compridos. Não há dúvida que em campos de serra com arquitetura clássica é necessário bom nível com todos os ferros e muita imaginação. O campo em si, estava impecável sendo que a nível de velocidade de greens o keeper não quis estragar a festa e facilitou a vida aos participantes.

Foram mais de 60 os convivas que se reuniram à mesa para depois do jogo recuperar forças com a também já tradicional feijoada. Este ano os Tigres fazem 15 anos pelo que esta foi uma oportunidade de partilhar o marco com os amigos do Clube e a assiduidade tanto a nível de torneio quando de almoço foi particularmente valorizada.

No que diz respeito a resultados, em 1º lugar Gross ficou Luis Costa Macedo e em 1º Net ficou Francisco Russo, em 2º Net ficou Francisco Pinto Barbosa (primeiro Tigre), e em 3º Net Paul Mascaro.

Os prémios skills foram para dois Tigres, o Luis Vallera (longest drive) e o Pedro Soares Franco (nearest to the pin).
A tão aguardada tombola não falhou este ano estando recheada de material de golfe do Nevada Bobs, de vouchers para jogar no Lisbon Sports Club, de vouchers premium da aplicação de golfe Hole19 e de muitas magnum de Freixenet. De notar ainda o importante apoio da Costa Duarte Seguros ao Cannonballs.

No que diz respeito à classificação de Ordem de Mérito a grelha mexe pouco. Isto porque os lideres já têm todos o número de resultados máximo (7) e agora só interessam classificações superiores às entregues. Neste contexto, apenas João Pedro Andrade, conseguiu o feito, acumulando uns preciosos 30 pontos que o deixam a meros 10 do segundo e terceiro classificados (empatados com 373 pontos). Na liderança permanece Duarte Sousa Coutinho com 413 pontos.

Tudo aquece agora na reta final do ano e há muito em aberto. A próxima etapa terá lugar em Novembro, no desafiante Royal Óbidos, e o torneio final vai certamente afectar as classificações uma vez que os jogadores acumulam pontos a dobrar.

Please Login to Comment.